15 anos de vinhos

Quinta do Gradil assinala 15 anos de vinhos ao mesmo tempo que recebe Prémio Empresa do Ano

No vinho é assim: o sucesso assinala-se um ano depois, quando o copo encosta nos lábios e se prova finalmente a colheita do ano anterior, depois de devidamente repousada e acariciada por estágios em inox ou em madeira. Na Quinta do Gradil, a colheita de 2015 tem uma dimensão ainda mais simbólica. Afinal assinalam-se 15 anos desde que os solos desta propriedade acolheram as novas vinhas que hoje devolvem vinhos que são já responsáveis por uma atenção crescente pela região de Lisboa.

O Prémio “Empresa do Ano”

2016 é o ano em que se abrem as garrafas da colheita de 2015, a campanha que assinala os 15 anos das novas vinhas. E é também o ano em que esta empresa da região de Lisboa recebe o mais importante galardão atribuído pelo setor: Empresa do Ano. Atribuído pela Revista de Vinhos, a distinção ganha relevância não só pela juventude da casa, mas pelo reconhecimento de uma produtora de vinhos da região de Lisboa. A este, a Quinta do Gradil soma outras centenas de prémios conquistados nos já tradicionais concursos de vinho, que se realizam nos principais destinos de exportação e que continuam a destacar a juventude dos seus vinhos e a excelente relação qualidade-preço.

Mas se o sonho comanda a vida, celebrar as conquistas alimenta novos sonhos. Com esta máxima em mente, a Quinta do Gradil decidiu assinalar esta data com um evento carregado de simbolismo, que, como se de uma máquina do tempo se tratasse, fez uma viagem entre 1760 e os próximos anos. As vinhas, o palácio setecentista e a capela voltaram a ver figuras pombalinas a percorrer o seu espaço, com as tradicionais vestes e transportadas em charretes.

“Não podemos nunca saber para onde vamos se nos esquecermos de onde vimos”, confidenciava Luís Vieira, que justificava este louvor ao passado, devidamente equilibrado pelos investimentos que marcam hoje a Quinta do Gradil. Entre as figuras do passado misturavam-se personalidades do presente. Várias personalidades, como críticos, destacadas individualidades do IVV, ViniPortugal, Câmara de Lisboa e do Cadaval, entre outros amigos.